Planejamento Financeiro

Consórcio é uma forma de poupança?

Consórcio é uma forma de poupança?

Veja porque o consórcio é uma forma de poupança!

Parando para pensar, será mesmo que o consórcio é realmente uma solução eficaz para poupar recursos? Veja como esse pensamento pode não estar errado.

Você sabia que, mais que uma maneira de compra a longo prazo, o consórcio é uma estratégia bastante eficaz para economizar dinheiro, até mesmo é um ótimo investimento? Acompanhe por essa matéria para entender melhor como a relação entre o consórcio e poupança. Fique de olho!

 

  • O consórcio é uma forma de juntar dinheiro:

Existem muitas pessoas que consideram o planejamento financeiro muito difícil. E poupar, realmente, exige que a pessoa tenha uma ótima base de disciplinar para se transformar em um hábito. Por isso pense bem, que é preciso ter determinação para guardar parte do seu salário, evitando ao máximo os gastos supérfluos.

Assim é que surgem os problemas, já que a decisão costuma depender unicamente de você, a resistência por exemplo tende a fracassar ou enfraquecer. Com tudo, em um momento de impulso, acaba gastando sempre um pouco a mais do que deveria guardar ou faz dividas que podem comprometer a sua renda.

É desta forma que o consórcio se apresenta, como uma ótima e eficaz solução. Pois, se trata de um compromisso assumido perante uma administradora e seus respectivos participantes, que dependem uns dos outros.

Lembre-se de que, é preciso que cada um cumpra sua parte, para o consórcio funcionar, entregando mensalmente um determinado valor para que a administradora guarde até o final do prazo ou até mesmo que o consorciado seja contemplado de outra forma. Quem participa de um consórcio fica obrigado a reservar certo valor como garantia para conseguir o bem.

  • As mensalidades são contas encaixadas no orçamento:

Muitas pessoas acabam pensando que tudo isso na verdade é uma desvantagem, uma vez que aumenta a quantidade de contas a pagar. Pois essa é a hora de parar de se iludir! O grande fato é que muitas pessoas fazem dividas com itens totalmente desnecessários, que abarrotam o seu orçamento quase sem propósito nenhum, impedindo qualquer uma das chances de formar uma reserva de dinheiro.

Já que com o consórcio o contexto pode mudar completamente. O consórcio em si já é uma economia própria, uma forma de aumentar seu patrimônio regulando melhor suas contas, poupando e sabendo esperar pelo bem. Esse é um desenvolvimento de um hábito saudável para a gestão financeira do orçamento pessoal.

O melhor de tudo é que ele pode se juntar as contas mensais da casa, como água, luz, internet, gás, aluguel, telefone, entre outras coisas, sendo tudo incluso na planilha de controle. Desta forma, definitivamente facilita a gestão de custos da família.

O melhor ainda é que, ao contrário da maioria das outras dividas (de acordo com cada pessoa) o consórcio não aliena juros, principalmente quando é causado das complicações financeiras pessoais pelo mundo afora.

Por mais que você assuma um novo compromisso financeiro, assim, seu gasto equivalera a sua própria poupança, servindo de garantia para uma recompensa futura por todo o seu esforço durante esse período.

  • O planejamento para o futuro:

O investimento de consórcio é, basicamente uma modalidade de compra a longo prazo. Desta forma, por mais que existam estratégias para antecipar o recebimento da sua carta de crédito, a recomendação dada essencial é que o consorciado saiba esperar. Pois trata-se, portanto, de um planejamento financeiro com foco no futuro.

Estar poupando, é se preparar para o amanhã. De fato, é possível pensar no seu futuro de forma e diferentes maneiras, poupando para a sua aposentadoria, para investimentos e problemas de saúde, para garantir padrões de vida melhor, entre uma série de fatores, e para adquirir um bem para aumentar seu patrimônio.

De qualquer forma, em todos esses casos e em todos outros, o foco está no futuro, sempre na intenção de se prevenir e ter maiores garantias. Esse é o consórcio. Você decide adquirir uma casa ou um apartamento, um terreno ou um caso, e optar por um consórcio que esteja dentro das suas possibilidades.

A partir deste momento terá iniciado a sua poupança, definindo uma margem de retorno aonde as possibilidades são mais longas, mas tendo a garantia de que você irá adquiri-la e que alcançara os seus objetivos. Isso será uma certeza e não apenas uma possibilidade.

No consórcio, vale lembrar que, o seu poder de compra permanece protegido, uma vez que exista uma correção monetária periódica. O valor que é pago como taxa de administração, é equivalente a um percentual do total da sua carta de crédito, dilui-se nas mensalidades totais.

Em um consórcio de imóveis com duração de 120 meses, assim, a taxa de administração seria de 18% por exemplo, você terá que pagar somente 0,15% ao mês durante todo o prazo. Comparando o consórcio e a poupança, as possibilidades de se obter lucros maiores com o consórcio são muito superiores as da caderneta tradicional.

Pois isso acontece principalmente devido aos reajustes feitos nas mensalidades e na carta de crédito de cada um, assegurando que o dinheiro investido não será perdido.

  • O lance é uma estratégia para poupar:

Os lances ofertados na modalidade do consórcio podem otimizar a sua gestão financeira, aonde o leva para poupar mais, sabia? Além de participar dos sorteios, uma outra forma de antecipar o recebimento da sua carta de crédito é por meio dos lances.

Certamente, mesmo que você saiba esperar, você deseja arriscar com lances e receber logo a sua carta de crédito, tem que pensar que deve poupar para que isso ocorra, afinal somente poupando que você conseguida ofertar um lance.

Então pesquise sobre os valores, informe-se sobre o mínimo ou máximos valores que foram ofertados na assembleia para se planejar melhor. Vale também destacar que existe uma estratégia de lance embutido, por meio da qual o participante pode utilizar um percentual da sua própria carta de crédito para ofertar o lance.

Nesse caso, se você não dispõe de muito dinheiro, pode utilizar esse recurso na tentativa de antecipar a sua contemplação. Mas lembre-se de que, em consórcios de imóveis, ainda é permitido usar o FGTS, inclusive como lance embutido!

Para finalizar essa matéria, vamos te mostrar como contratar um consórcio.

Antes de qualquer coisa, você deve se planejar, faça as contas e analise o quanto do seu orçamento pode ser comprometido com as mensalidades.

Agora é a hora de escolher a administradora, com a autorização do Banco Central, com boas referências e taxas mais acessíveis.

Antes mesmo de decidir, leia o contrato com muita calma e tire todas as suas dúvidas sobre o valor da carta de crédito, os prazos, as taxas, condições e reajustes, quantia de participantes, multas e regras de contemplação. Com tudo em ordem, comece a poupar!

Leia Mais artigos do O Blog do Consórcio, todos os dias uma nova matéria para você, assine a nossa newsletter e acompanhe os nossos artigos.

 

PREENCHA O FORMULÁRIO E OBTENHA AJUDA

Melhor Forma de Contato

TelefoneE-mailWhatsApp

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *